A reabilitação urbana do Largo do Conde e da Praça da Independência, em Castelo de Paiva  encontra-se atualmente em curso. A obra é da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, que apostou na renovação do centro urbano da sede do concelho de Castelo de Paiva , que não via obras de reabilitação há décadas. As obras estão a avançar a passo acelerado. Nesta publicação resumimos as ideias do projeto e mostramos algumas fotografias dos avanços da obra até à data. 

O Largo do Conde e a Praça da Independência caracterizam-se como sendo espaços públicos de elevado interesse social, económico e cultural para o Concelho de Castelo de Paiva. Estes posicionam-se geograficamente como estruturas contínuas uma à outra e constituem em conjunto, a área definida como sendo o centro da Vila de Castelo de Paiva.

O projeto da APROplan tem como objetivos o melhoramento das dinâmicas, da qualidade estética, ambiência e funcionalidade do espaço. A intervenção a realizar objetiva a concretização de um espaço coeso e funcional, preparado para absorver as pressões atuais, contribuindo para o aumento da qualidade de vida dos seus utilizadores.

As linhas que serviram de base para a estruturação da proposta foram:

  • Criação de espaços que contribuam para a melhoria da qualidade do ar e da atmosfera, através da redução das emissões de carbono;
  • Promoção da mobilidade pedonal e ciclável;
  • Melhoria da qualidade do ambiente urbano;
  • Melhoria da qualidade estética, paisagística e urbanística;
  • Promoção do conceito de desenvolvimento sustentável e preservação ambiental;
  • Promoção e aumento da competitividade regional;
  • Revigoração de um espaço que se encontra sem intervenções de requalificação há décadas, sendo os sinais de desgaste evidentes;
  • Preservação e enaltecimento do caráter histórico e cultural do lugar;
  • Garantir o aumento das condições de desenvolvimento de eventos culturais e lúdicos característicos do município.

A visão global da intervenção caracteriza-se pela criação de uma grande praça, centrada nos seus elementos fundamentais: a estátua do Conde, o edifício da Câmara Municipal, o Cruzeiro e a Igreja. A criação deste espaço permite ao centro histórico o desenvolvimento e instalação de dinâmicas e fluxos ágeis, típicos e necessários em espaços desta natureza. A recuperação da visibilidade para a estátua do conde e do eixo visual óbvio entre esta estátua e o cruzeiro permitirá enaltecer estes elementos históricos do centro de Castelo de Paiva.

Entendeu-se como prioritário a criação de condições que beneficiem a circulação pedonal, não excluindo a circulaçao viária totalmente. 

Estas alterações promoveram claramente a constituição de um espaço mais amplo e coeso, dedicado essencialmente ao peão, sendo bastante mais seguro, confortável e apelativo a sua utilização. Promoveu-se também desta forma, a conectividade entre todos os elementos estruturais do espaço que estabelecem relações entre si, promovendo assim a sua conectividade física, visual e conceptual. 

Definiram-se diversas áreas multifuncionais, com capacidade para desempenhar funções de passagem, circulação e estadia, bem como áreas de recreio e desenvolvimento de atividades lúdicas e tradicionais do concelho. Foi concebida ainda uma zona dedicada à música e à cultura musical, uma matéria na qual o Concelho de Castelo de Paiva tem particular reconhecimento, preparada para o desenvolvimento de espetáculos de pequenas dimensões através da instalação de uma pequena plataforma multifuncional e munida de elementos de estatuária, alusivos a essa temática.  

Para além das premissas principais acima referidas, a presente proposta conta também com:

  • Renovação dos pavimentos existentes, optando por materiais da região, como o xisto e o granito;
  • Substituição do mobiliário urbano e luminárias, visto que apresentam elevado nível de degradação, desgaste e iluminação global ineficiente;
  • Instalação de dissuasores de trânsito para organização e orientação da circulação viária mantida;
  • A eliminação de árvores que se apresentem em fracas condições fitossanitárias e/ou cujo posicionamento se entenda desadequado;
  • A plantação de novas árvores e arbustos em locais definidos como adequados;
  • Alargamento das caldeiras das árvores existentes;
  • Retificação das pendentes dos pavimentos e melhoramento dos sistemas de drenagem e recolha de águas pluviais;
  • Supressão de desníveis existentes no interior da praça bem como das vias de circulação viária;
  • Instalação de atravessamentos pedonais, devidamente sinalizados e adequados a utilizadores com mobilidade reduzida e invisuais;
  • Instalação de equipamentos que possibilitem o estacionamento de bicicletas, posicionados em diversos locais de chegada ao centro da Vila de Castelo de Paiva;
  • Instalação de estruturas de ensombramento posicionadas nas laterais do edifício da Câmara Municipal;
  • Instalação de sistemas de rega eficientes;
  • Instalação de bocas de incêndio na envolvente imediata à estátua do Conde;