É frequente associar-se o conceito de jardim de baixa manutenção a um nível de manutenção nulo. Um jardim é um elemento vivo, e como tal necessita de ser cuidado para manter o melhor aspecto. Abaixo poderá encontrar os 5 mitos mais comuns acerca dos jardins de baixa manutenção e a sua desmistificação.

 

Mito #1: Baixa manutenção é ausência de manutenção

O primeiro mito, e também o mais comum, é um conceito relativamente generalizado e inconscientemente assumido de que um jardim de baixa manutenção não precisa de manutenção. Este pode à partida parecer um mito bastante absurdo, mas a verdade é que são mais frequentes do que possa pensar as intenções de ter um jardim com um excelente aspecto, verdejante e repleto de vida, que não dê trabalho.

Se há uma verdade absoluta no que toca ao jardim é que todos os jardins precisam de manutenção. O que varia é apenas a intensidade dessa manutenção.

Ao optar por um jardim de baixa manutenção irá necessitar de um planeamento mais intenso na fase de projecto, e uma boa execução no que toca à obra. Quanto melhor estas fases correrem, maior é a probabilidade de ser bem sucedido com uma manutenção baixa.

Por isso, se quer ter um jardim de qualidade com baixa manutenção, o primeiro passo é interiorizar a ideia de que essa manutenção será baixa mas existirá sempre.

Pessoas a passar tempo de qualidade no jardim

Mito #2: As plantas aromáticas não têm manutenção

 É frequente relacionarem-se as plantas aromáticas, nomeadamente as mediterrânicas, mais rústicas e resistentes, com ausência de manutenção. Esta não é uma verdade absoluta. Os jardins de aromáticas necessitam de podas anuais que estimulem a nova rebentação das plantas, para que esta possa ocorrer de forma vigorosa, e na primavera o jardim esteja jovem e cheio de vida.

Se é verdade que as alfazemas, os rosmaninhos e os tomilhos são muito estáveis e muito pouco consumidores de água e de manutenção, optar por não os podar levará a que o jardim tenha um aspecto muito mais próximo da natureza, com algumas tonalidades cinza e castanhas em partes das plantas, que nem sempre são bem-vindas por todos. É uma questão de decidir qual a estética que pretende para o seu jardim: mais manutenção dará origem a um ar mais controlado e jovem, menos manutenção criará um jardim muito mais naturalizado, com tonalidades menos verdes.

É também importante perceber que se pretender um jardim de aromáticas mediterrânicas de baixa manutenção, no inverno, altura das podas, este terá um aspecto mais cinzento e acastanhado, recuperando a vida na primavera.

Há formas de reduzir estes efeitos, nomeadamente alternando estas espécies com outras que no inverno se mantêm mais verdes, e com a qualidade da poda que é feita, deixando-se algumas partes verdes da planta.

 

Mito #3: Os prados são uma solução sem manutenção para substituir os relvados

É muito comum assumir-se que os prados são uma solução milagrosa para obter um aspecto verde no seu jardim, sem rega nem corte.

A principal diferença entre um prado e um relvado, além das espécies que o compõem, é a intensidade da sua rega e do seu corte. Quando opta por um prado, está a escolher uma solução com menos manutenção e rega, mas que não terá tanta possibilidade de utilização, uma vez que se degrada mais rapidamente com o pisoteio do que um relvado. Contudo se não o cortar nem regar ele rapidamente irá desaparecer, tornando-se num tapete seco e castanho.

Da mesma forma, ao optar por um prado, a uniformidade do tapete verde é muito diferente do que apresenta um relvado: é comum a presença de espécies com folhas mais largas ou com floração como o trevo.

Novamente, ao optar por um prado terá um jardim com menos necessidades de rega e corte, mas terá igualmente um jardim com um aspecto mais selvagem, natural. É uma questão de opção e equilíbrio entre a estética que pretende, e a manutenção que está disposto a realizar.

Jardim residencial com caminho em Pedras

Mito #4: Posso reduzir no sistema de rega para cortar no orçamento

Para um jardim de baixa manutenção, é crucial planear o sistema de rega de forma adequada. Um sistema de rega automático representa um custo inicial elevado mas, quando desenhado e implementado por profissionais ajuda-o a reduzir as necessidades de manutenção e custos com o consumo da água. Soluções de rega gota-a-gota e outros tipos de rega localizada permitem-lhe aplicar a água no local certo, nas quantidades certas e com a regularidade adequada, quase sem desperdícios. Da mesma forma, a escolha dos aspersores e pulverizadores mais adequados em combinação com uma boa distribuição destes no jardim, irá garantir que só gasta a água estritamente necessária para obter o aspecto que pretende no seu jardim.

 

Mito #5: O meu jardim é de baixa manutenção por isso posso cortar orçamento nos serviços de jardinagem

 

Por fim, consciencialize que a escolha de quem irá fazer a manutenção do seu jardim é o que irá manter o melhor ou pior aspecto ao longo do tempo. Invista na qualidade da manutenção porque é ela que ditará a saúde do seu jardim.

Procure um profissional que entende realmente como se mantém um jardim de baixa manutenção de forma adequada. Este factor é crucial porque sendo este conceito de jardim relativamente recente, as manutenções a que tradicionalmente estamos habituados são desadequadas, e farão com que o seu jardim rapidamente se transforme num espaço com um aspecto pobre e depauperado.